EUCALIPTO (Eucalyptus globulus)

EUCALIPTO (Eucalyptus globulus): aplicações do óleo: potencial antisséptico, antiviral, expectorante, estimulante do sistema respiratório, anti-inflamatório, adstringente e ativa a circulação. É indicado para tratar bronquite, asma, tosse, catarro, resfriado, diabetes, sinusite. Pesquisas demonstram o seu poder de controlo do crescimento bacteriano in vitro. É muito utilizado para reequilibrar distúrbios respiratórios, pois o óleo de eucalipto relaxa a musculatura dos brônquios e desinfecta as vias aéreas superiores.

Nas esferas mental e emocional: o óleo de eucalipto é indicado para pessoas pessimistas e com pensamentos fixos e negativos. Favorece a concentração e clareia a mente e as ideias.

Quando combinado com alecrim e hortelã é indicado para dificuldades respiratórias (asma, bronquite, sinusite); com manjerona, para dores no nervo ciático; e com lavanda, dor no tórax e resfriados.

Alecrim aos molhos, óleo essencial

O Alecrim é altamente popular desde remotos tempos. Utilizado medicinalmente e na alimentação como condimentar ou em chá, tem acção muito estimulante. O seu óleo essencial deve ser utilizado com sabedoria e moderação. É utilizado em salas de dança. Excelente para a concentração e memória é muito utilizado em salas de estudo. Misturado com óleo de massagem promove e estimula a circulação e alivia dores reumaticais e musculares. É auxiliar ainda no alívio dos distúrbios do período menstrual, no tratamento de úlcera, pedras nos rins e vesícula, além de ajudar na concentração de esperma. A sua acção estimulante coloca-o no grupo dos óleos afrodisíacos.

  • Nome científico: Rosmarinus officinalis L.
  • Nome comum: Alecrim
  • Modo de cultivo: Espontâneo
  • País de origem/Região: Portugal – Alentejo (Parque Natural Vale do Guadiana)
  • Método de extracção: Destilação por arraste de vapor
  • Partes da planta utilizada: Folhas e flores
  • Processo de recolha: manual

Workshop de Destilação de Óleo Essencial de Eucalipto

Dia 30 de Setembro, Actividades várias de respeito pela Terra, Plantas e Gentes

https://www.facebook.com/events/723188351206282/

Cientistas descobrem erva que combate a demência e aumento a memória em 75%

Alecrim é uma erva popular, usada para enfeitar pratos e várias refeições, devido ao seu cheiro único e agradável.

No entanto os cientistas confirmam que esta erva pode ser muito mais útil se utilizada no tratamento da demência e da doença de Alzeimer!

Em Hamlet, Shakespear escreveu “Há alecrim, é para lembrança: reze, ame, lembre-se.” Ele pode ter tido conhecimento dessas propriedades desta planta benéfica.

Estudos têm mostrado que o alecrim tem efeitos miraculosamente fortes no caso de perda de memória e o início da desaceleração mental associada às doenças.

Existe um forte vínculo entre o cheiro desta erva natural e a função cogmitiva melhorada, ou para ser mais específico, para a retenção de memória!

Além disso, outro estudo mostrou que o alecrim proporcionou efeitos positivos nos tratamentos de pacientes com Alzheimer e demência. As descobertas foram impressionantes:

“Todos os pacientes apresentam melhora significativa em … Função cognitiva em ambos (testes) após a terapia. Em particular, pacientes com doença de Alzheimer apresentaram melhora significativa nos valores totais”.

Os resultados destes estudos dão esperança de que o alecrim possa ser um remédio natural potente para a demência e a doença de Alzheimer.

Portanto, para aumentar o desempenho do seu cérebro, basta respirar fundo um pouco de alecrim.

Fonte:
BBC Magazine

Como Usar os Óleos Essenciais

Os Óleos essenciais podem ser utilizados em massagens

No caso das massagens, é preciso atentar para o fato que os óleos essenciais contêm substâncias muito concentradas. Por isso, não devem ser aplicados directamente na pele, pois podem causar irritações. O indicado é, primeiro, diluí-los em um óleo vegetal, como óleo de girassol, de abacate etc.

Outra forma de utilizar os óleos essenciais é fazendo inalação húmida, que é utilizada para combater problemas que afectam o sistema respiratório, como gripes, resfriados, dor de garganta ou sinusite. As inalações exigem diversos cuidados, como utilizar uma venda nos olhos para que eles não sejam afectados pelo vapor, então, não faça antes de consultar o médico!

Uma das maneiras mais seguras de utilizar os óleos essenciais é colocá-los em um difusor de ambientes e perfumar a casa ou quarto com o aroma escolhido e sentir todos os benefícios que ele pode trazer tanto para o corpo quanto para a mente.

Banho de Imersão: 10 a 12 gotas do óleo essencial, diluídas 10 ml de óleo vegetal.

Compressa: dilua 5 gotas do óleo essencial em 1 litro de água. Frias para áreas inchadas e contusões; quente para áreas doloridas; morna para tratamentos da pele em geral.

Difusão/Spray: até 8 gotas de óleo essencial em réchaud com água; até 20 gotas de óleo essencial para cada 50 ml de água/álcool de cereais (em parte iguais).

Fricção: 1 ou 2 gotas de óleo essencial diluída em pequena quantidade de óleo vegetal para friccionar o local.

Inalação: 3 a 4 gotas do óleo essencial indicado diluído em 1 litro de água fervente, cobrindo a cabeça com uma toalha e inalando o vapor por 3 a 4 minutos. Indicado para descongestionar as vias respiratórias – repetir até 3 vezes ao dia. Ou para abrir os poros para limpeza de pele.

Massagem: Diluir até 25 gotas de óleo essencial para cada 50 ml de óleo vegetal (os mais indicados são: semente de uva, gérmen de trigo e amêndoas doces).

Esteva Cistus ladanifer

essencia_esteva

Planta arbustiva (Cistus ladanifer), da família das cistáceas, de flores grandes e brancas, que segrega uma resina aromática, o ládano, Utilização principal em perfumaria como fixador, cosmética ou aromatizante de sabonetes e detergentes, óptimo regenerador da pele, combate as rugas e previne alguns distúrbios linfáticos. Anti-séptico, anti-bacteriano e anti-viral. Grande poder cicatrizante.

Aromaterapia

aromaterapia

Que os óleos essenciais possuem princípios activos que lhes atribuem propriedades anticépticas, anti-inflamatórias, antioxidantes e analgésicas, já é sabido. Mas e que eles apresentam a capacidade de interferir em seu estado emocional e psicológico, você sabia? Sim! A Aromaterapia também é uma ferramenta excelente para atingirmos estados de bem-estar e equilíbrio energético.
Para entendermos a actuação da Aromaterapia a partir desse aspecto psicoemocional, é necessário conhecermos a região do cérebro envolvida nesse processo: o sistema límbico, área do sistema nervoso relacionada às emoções e comportamentos sociais, e a sua ligação com o olfacto. Apesar das controvérsias sobre as estruturas anatómicas que fazem parte do sistema límbico, é fato que o sistema olfactivo está associado a ele, onde estímulos odoríferos enviam sinais que excitam essa região do cérebro. Desta maneira , estruturas do sistema são estimuladas, gerando, em vias mais complexas que aqui exposto, uma resposta hormonal, que resulta em emoções como medo, prazer, bem-estar, raiva, dentre outras, dependendo da região do cérebro que foi “activada” com o estímulo. Conhecendo as propriedades dos óleos essenciais, podemos utilizá-los para induzir um estado de bem-estar e minimizar aspectos negativos, gerando um equilíbrio emocional.

Ciclo de Oficinas de Destilação de Óleos Essenciais 27 de Maio, 3 de Junho e 10 de Junho

oleos essenciais

Colheita e destilação do óleo essencial com aproveitamento do respectivo hidrolato em destilaria de baixa pressão com capacidade de 1200 l de planta. Discussão das propriedades da planta destilada. Inclui almoço, 1 l de hidrolato e óleo essencial destilado. Preço 40 Euros. Datas – 27 de Maio, 3 de Junho e 10 de Junho. A fim de garantir a sua presença agradecemos o pagamento de 50% do valor no acto da inscrição através de transferência bancária para IBAN PT50.0036.0043.99100436674.26 até 3 dias antes da data escolhida. Favor enviar comprovativo para o email abaixo indicado. O restante será liquidado no dia da oficina. Pedido de Informações para info@dalenguadiana.pt ou 930414042

Equinócio de Primavera

O equinócio da primavera ocorreu hoje, 20 de março de 2017, às 10h29, sinalizando o primeiro dia da primavera.

Dá-se o nome de equinócio da primavera ao momento exato em que tem início a estação da primavera. A astronomia define então como equinócio da primavera o instante em que o Sol, assim como o vemos do planeta Terra, cruza o plano do equador celeste, isto é, a linha do equador terrestre que é projetada na esfera celeste.

Quando este evento acontece em março, chama-se de equinócio da primavera no hemisfério norte. No hemisfério sul o equinócio da primavera acontece em setembro.

Equinócio é uma palavra em latim que aglutina dois termos com significados diferentes. Aequus significa “igual” e “nox”, noite. O termo quer dizer literalmente “noites iguais”, isto porque nessa altura a noite e o dia têm sensivelmente a mesma duração, 12 horas.

A chegada da primavera é um evento sempre muito celebrado em todo o mundo, porque marca o fim do inverno, uma estação sempre associada ao mau tempo, desconforto e em termos históricos à escassez de comida. Para além disso, trata-se de uma celebração do renascimento da natureza, e historicamente era a altura em que se celebravam os festivais de fertilidade e abundância.